Mãe segurando o dedo do bebê

REPRODUÇÃO HUMANA

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a infertilidade é definida pela ausência de gestação após pelo menos 12 meses de atividade sexual regular sem o uso de qualquer método contraceptivo. A infertilidade é um problema global de saúde e estima-se que afeta de 8-12% da população mundial em idade reprodutiva. O fator masculino está presente em 50% desses casos, contribuindo ou sendo a causa principal para o não estabelecimento da gravidez. Além disso, a infertilidade geralmente vem acompanhada de sofrimento psicológico e social e demanda investimento financeiro muito alto dos indivíduos que desejam ser investigados ou que realizarão algum tipo de tratamento; por isso, a investigação adequada por profissionais e estabelecimentos de saúde especializados é extremamente necessária para mitigar esses efeitos indesejados e elevar as taxas de sucesso posteriormente.

Quando procurar um andrologista especialista em reprodução humana?

Após o período de 12 meses de tentativas para engravidar, o casal deve procurar auxílio de um especialista em Reprodução Humana, que será responsável por conduzir uma investigação minuciosa e criteriosa para determinar o que pode estar de errado.

Esta avaliação deve envolver um médico ginecologista para acompanhamento da mulher e de um médico andrologista para levantamento do histórico clínico do homem.

Na investigação de possíveis fatores masculinos de infertilidade, o andrologista realizará uma consulta detalhada para avaliação clínica do homem. A realização de exame físico e de exames laboratoriais são fundamentais. O quadro abaixo ilustra o caminho que o homem deve percorrer quando enfrenta dificuldades para engravidar sua parceira.

 
img_quando_procurar_andrologista-scaled.jpg
 

Os resultados obtidos permitirão que o especialista aponte as melhores estratégias para o restabelecimento da fertilidade natural, sempre que isso for possível.

 

CAUSAS E DIAGNÓSTICO DA INFERTILIDADE MASCULINA

A infertilidade masculina pode ter diversas causas:

  • Varicocele (colocar hiperlink);

  • Alterações hormonais (hiperlink hipogonadismo);

  • Azoospermia (hiperlink);

  • Câncer de testículo (hiperlink);

  • Infecções sexualmente transmissíveis (hiperlink);

  • Alterações genéticas;

  • Poluição do ar;

  • Hábitos e estilo de vida (tabagismo, uso de drogas recreativas, obesidade, uso excessivo de álcool, entre outros).

A investigação do homem como fator de infertilidade deve incluir a realização de exames com o sêmen. Somente a análise seminal ou espermograma não é suficiente para predizer a qualidade dos espermatozoides. O exame avalia a quantidade, motilidade e forma dos espermatozoides de forma muito simplista e não avalia a capacidade funcional dos espermatozoides. Testes de função espermática, como teste de fragmentação do DNA e dosagem de radicais livres devem ser solicitados pelo andrologista.  

 

A condução e prognóstico do tratamento de reprodução humana vai depender diretamente das causas de infertilidade identificadas, sempre com o objetivo principal de restabelecer e preservar a fertilidade natural do homem.

 

QUAIS SÃO OS TRATAMENTOS PARA INFERTILIDADE MASCULINA?

O protocolo médico de tratamento para casos de infertilidade masculina dependerá da causa da infertilidade. No geral, as condutas médicas adotadas são:

  • Desobstrução de ductos ejaculatórios (em casos de azoospermias obstrutivas);

  • Tratamento medicamentoso com antibióticos em casos de infecção;

  • Suplementação com substâncias antioxidantes;

  • Tratamento especializado com hormônios;

  • Congelamento do sêmen pré-quimioterapia ou radioterapia;

  • Correção microcirúrgica da varicocele;

  • Mudança de hábitos e estilo de vida;

  • Reversão microcirúrgica de vasectomia.

 

ANDROLOGIA NA REPRODUÇÃO ASSISTIDA

O médico andrologista é o médico que cuidara do homem infértil e que solicitará exames específicos para identificar as causas da infertilidade e determinar os melhores métodos para restabelecimento da capacidade reprodutiva.  

Em grande parte dos casos, é possível realizar um diagnóstico e tratamentos assertivos de forma que o homem recuperará seu potencial fértil para que alcance uma gravidez de forma natural ou com auxílio da Reprodução Assistida. Caso seja necessário ajuda da Reprodução Assistida, com a função reprodutiva em melhores condições, técnicas de menor complexidade são aplicadas.

Além disso, um laboratório especializado em Andrologia é fundamental para a realização de todos esses processos.

 

PRESERVAÇÃO DA FERTILIDADE

Existem várias situações que colocam em risco a capacidade reprodutiva de homens, reduzindo seu potencial fértil. Muitas vezes, estas situações podem ser previstas, antecipadas ou até mesmo planejadas, de forma a termos a chance de garantir a “preservação da fertilidade”, por meio da criopreservação (congelamento) de espermatozoides para uso futuro. Veja algumas situações em que a criopreservação é indicada:

  • Antes da realização de quimioterapia ou radioterapia em indivíduos diagnosticados com câncer;

  • Homens que farão vasectomia, mas que querem guardar espermatozoides caso desejem utilizar futuramente;

  • Problemas de saúde que levam a queda progressiva da fertilidade.

 

SEGUNDA OPINIÃO

A investigação da infertilidade masculina, em geral, é bastante objetiva e se concentra nas principais causas que geralmente levam à infertilidade conjugal. É importante, porém, que a análise seja feita sempre com foco no homem e na mulher — e não apenas em uma das partes.

No caso dos homens que estão com dificuldade para engravidar suas parceiras, os principais exames realizados são: o espermograma que contempla exames de função espermática (já mencionados acima), além de exames hormonais para os homens e ultrassom, por exemplo.

No caso das mulheres é comumente avaliada a ovulação e realizado um estudo das tubas para verificar possíveis obstruções. Quando necessário, exames complementares e mais avançados podem ser solicitados para ambos.

Por isso, embora o casal certamente tenha o direito de buscar uma segunda opinião sempre que esta for sua vontade, essa é uma medida mais indicada para casos em que não foi possível apontar de maneira precisa a causa da infertilidade.

 

ABORTO DE REPETIÇÃO E O ESPERMATOZOIDE

Evidências científicas apontam que a qualidade dos espermatozoides pode influenciar diretamente na ocorrência de abortos espontâneos de repetição.

Um estudo publicado no periódico científico Clinical Chemistry em janeiro de 2019, realizado pela Imperial College London, universidade na Inglaterra, avaliou amostras de sêmen de 50 homens do Reino Unido, em que as respectivas parceiras haviam sofrido, pelo menos, 3 abortos espontâneos de repetição.

Na pesquisa, os espermatozoides dos indivíduos desse grupo apresentaram considerável quantidade de DNA fragmentado, especialmente em comparação com amostras de homens com parceiras que tiveram gestação normal. O DNA espermático carrega o material genético e é fundamental que esteja íntegro durante o processo de fertilização para que forme um embrião geneticamente normal.